Skip to content

Transtornos de Personalidade

Você provavelmente conhece ou conheceu alguém que possui uma forma diferente – ao seu ver – de enxergar e reagir ao mundo. Ou mesmo se questionou sobre as próprias variações de humor, ou sobre as próprias dificuldades de se desapegar de certos comportamentos.

Isso caracteriza um transtorno de personalidade? Seria esse comportamento passível de tratamento? Entenda aqui o que é esse transtorno, como identificá-lo e quando se torna necessário buscar ajuda.

O que são os transtornos de personalidade?

O transtorno de personalidade se refere, na verdade, a um conjunto de transtornos. Apesar de se manifestar de forma variada, em todos os transtornos as pessoas apresentam padrões de comportamento e formas de reagir e se relacionar persistentes, e que causam sofrimento significativo ou até mesmo comprometimento da sua funcionalidade. Costumam ser problemas de longa duração e afetam principalmente os relacionamentos pessoais.

As possíveis causas

Apesar de não estar muito bem estabelecido ainda, acredita-se que os transtornos de personalidade são causados por uma combinação e interação entre fatores ambientais e predisposição genética. Muitos transtornos diminuem a sua gravidade com o avançar da idade, porém certos traços podem persistir, mesmo após a resolução dos sintomas agudos que levaram ao diagnóstico num primeiro momento.

Sinais e Sintomas

Os sinais e sintomas dos transtornos costumam surgir na adolescência e/ou no início da vida adulta. Geralmente, se manifestam através da autoimagem (na construção da própria identidade) e através dos relacionamentos.

  • Auto Identidade – Quem sofre de transtorno de personalidade não tem uma imagem clara e estável de si mesma, podendo mudá-la conforme a situação em que se encontram. Da mesma forma, a autoestima oscila entre alta e baixa.
  • Relacionamentos Interpessoais – Estabelecer relações íntimas e duradouras costuma ser muito difícil para quem sofre de qualquer transtorno de personalidade. Costumam ser pessoas tidas como confusas, que podem tender a se isolar socialmente ou até mesmo sofrer de medo de abandono e necessitar de muita atenção.

Sendo assim, os sinais e sintomas vão variar conforme o tipo de transtorno que a pessoa apresenta. No entanto, os mais comuns são:

  • Isolamento social e/ou Introspecção;
  • Impulsividade;
  • Medo de abandono e/ou necessidade de atenção;
  • Intolerância;
  • Arrogância e/ou intolerância;
  • Perfeccionismo excessivo;
  • Insegurança excessiva;
  • Ansiedade;

Os tipos de Transtornos de Personalidade

 

Os transtornos de personalidade são classificados em três subgrupos, conforme o último Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), unindo aqueles que apresentam características e padrões em comum. Ao todo, são dez transtornos diferentes.

  

GRUPO A – Transtornos estranhos ou excêntricos, inclui:

 

  • Transtorno de Personalidade Paranóide: pessoas com alto grau de desconfiança e suspeita sobre os outros. Podem apresentar medo de perseguição e/ou de serem enganadas.
  • Transtorno de Personalidade Esquizoide: costumam apresentar alto grau de desinteresse em outras pessoas e embotamento social.
  • Transtorno de Personalidade Esquizotípico: pessoas com comportamentos e pensamentos excêntricos ou bizarros. Geralmente têm dificuldade em adquirir relacionamentos íntimos.

GRUPO B – Transtornos dramáticos ou erráticos, inclui:

 

  • Transtorno de Personalidade Antissocial: costumam manipular os outros para ganho pessoal, podem ser falsos e irresponsáveis social e afetivamente.
  • Transtorno de Personalidade Borderline:alta instabilidade emocional, com intolerância de ficar sozinho e mudanças de atitude súbitas e de forma impulsiva.
  • Transtorno de Personalidade Histriônico:pessoas que possuem necessidade excessiva de chamar a atenção.
  • Transtorno de Personalidade Narcisista:costumam apresentar autoestima frágil e desregulada, apesar de aparentarem grandiosidade sobre a própria imagem.

GRUPO C – Transtornos ansiosos e/ou apreensivos, inclui:

 

  • Transtorno de Personalidade Esquivo: medo de rejeição tão alto que costumam evitar o contato interpessoal de qualquer tipo.
  • Transtorno de Personalidade Dependente: costumam apresentar necessidade excessiva de ser cuidado e alto grau de submissão.
  • Transtorno de Personalidade Obsessivo-Compulsivo (TOC):costumam ser pessoas rígidas, perfeccionistas e obstinadas, que apresentam pensamentos ou comportamentos repetitivos que causam prejuízo às suas atividades diárias

ATENÇÃO: Apesar de sempre haver alguma característica de cada transtorno que podemos reconhecer em nós mesmos, quem possui de fato o transtorno deve apresentar a maior parte das características de um transtorno específico.

Como diagnosticar

A divisão dos transtornos em grupo não têm aplicabilidade na prática, pois o diagnóstico é clínico e exige uma boa avaliação do Psiquiatra ou Psicólogo. Não costuma ser um diagnóstico fácil de se firmar.   É importante  que a avaliação diagnostica seja feita por uma equipe   MULTIDISCIPLINAR.

Com o devido apoio de seus familiares e amigos, associado à psicoterapia e a intervenção farmacológica, as pessoas que sofrem de transtornos de personalidade podem melhorar muito a sua qualidade de vida.

 

Algumas medidas tomadas pelo próprio paciente podem fazer a diferença, como:

 

  • Faça Psicoterapia
  • Informar-se sobre o distúrbio que possui;
  • Praticar atividades físicas regularmente para gerenciar e reduzir alguns sintomas;
  • Evitar o uso de substâncias estimulantes, como bebidas alcoólicas e outras drogas;
  • Escrever um diário para exteriorizar e expressar as emoções;
  • Buscar técnicas de relaxamento e autoconhecimento como yoga e meditação.

 

Se você se identifica com algum desses transtornos ou convive com alguém que apresente algumas dessas características e está sob estresse ou sofrimento emocional, não hesite em pedir ajuda. Busque a avaliação de um profissional especialista e descubra como tratar esses sintomas o quanto antes. 

Com o devido apoio de seus familiares e amigos, associado à psicoterapia e a intervenção farmacológica, as pessoas que sofrem de transtornos de personalidade podem melhorar muito a sua qualidade de vida.

 

Algumas medidas tomadas pelo próprio paciente podem fazer a diferença, como:

 

  • Faça Psicoterapia
  • Informar-se sobre o distúrbio que possui;
  • Praticar atividades físicas regularmente para gerenciar e reduzir alguns sintomas;
  • Evitar o uso de substâncias estimulantes, como bebidas alcoólicas e outras drogas;
  • Escrever um diário para exteriorizar e expressar as emoções;
  • Buscar técnicas de relaxamento e autoconhecimento como yoga e meditação.

 

Se você se identifica com algum desses transtornos ou convive com alguém que apresente algumas dessas características e está sob estresse ou sofrimento emocional, não hesite em pedir ajuda. Busque a avaliação de um profissional especialista e descubra como tratar esses sintomas o quanto antes. 

 

Related Post

Open chat
Atendimento Online!